A dor digna de Ana, a princesa de caráter forte

Princesa Anne na Escócia em 10 de setembro de 2022 (AFP/Andrew Milligan)

Conhecida por seu caráter forte e desempenho discreto de seus deveres reais, a princesa Anne raramente mostra suas emoções. Mas a filha de Isabel II não conseguiu esconder a sua dor enquanto acompanhava a mãe na sua última viagem.

Com Carlos III em Londres para cumprir seus primeiros deveres reais, Anne foi deixada para seguir, visivelmente abalada, a procissão de seis horas do Castelo de Balmoral a Edimburgo.

Os britânicos se emocionaram ao se curvarem diante do caixão de sua mãe ao chegarem à capital escocesa, no último ato de respeito à rainha após uma vida de serviço.

Na segunda-feira, a princesa real, título que detém desde 1987 como filha mais velha do monarca, marchou ao lado do rei Carlos III e seus dois irmãos durante a procissão que levou o caixão de Elizabeth II do Castelo de Holyrood a Saint Giles.

Ele também irá no avião que levará os restos mortais do soberano para Londres.

Aos 72 anos, seu papel na monarquia pode mudar, já que Carlos III encontrou apoio nela no início de seu reinado.

– Tentativa de sequestro –

Ana tem fama de ser o membro mais diligente da família real, combinando uma carreira de jóquei que a levou aos Jogos Olímpicos com uma vida de compromissos públicos com um ritmo sustentado mas discreto, longe de escândalos nos últimos anos.

Com a mesma franqueza que caracterizou seu pai, o príncipe Felipe, ela mesma disse que sua personagem “não correspondia à imagem que todos têm de uma princesa de conto de fadas”.

“Você aprende da maneira mais difícil”, disse ele. “Não há escola para a realeza”, acrescentou.

Ana, considerada fria e às vezes criticada por seu humor áspero, nunca procurou agradar a imprensa, considerando que não estava ali para “fazer acrobacias”. Certa vez, ele pediu aos fotógrafos para “ir embora”.

A princesa, que escreve seus próprios discursos, passou pelo sistema real de seus pais, mas escolheu uma vida mais moderna para seus filhos.

Ele também ganhou respeito por apoiar mais de 300 instituições de caridade, ONGs e regimentos militares.

Em 1974, Ana foi alvo de uma tentativa de sequestro quando seu veículo foi atacado. Dois policiais, o motorista e um transeunte foram atingidos por disparos de arma de fogo.

Mais tarde, um documento divulgado pelos Arquivos Nacionais revelou que o agressor Ian Ball apontou sua arma para Anne e disse: “Quero que ela venha comigo por um ou dois dias porque quero dois milhões de libras. Ela entrará no meu carro?”

Anne respondeu sem hesitar: “De jeito nenhum, e eu não tenho dois milhões de libras.”

Princesa Anne com seu irmão, agora rei Charles III, em 26 de fevereiro de 1970 (AFP/-)

Princesa Anne com seu irmão, agora rei Charles III, em 26 de fevereiro de 1970 (AFP/-)

– hábil amazona –

Nascida em 15 de agosto de 1950, Ana herdou da mãe a paixão por cavalos e rapidamente se tornou uma hábil amazona. Em 1971 ele ganhou o Campeonato Europeu de All-around.

“Vi (na minha carreira desportiva) a forma de mostrar que tinha algo além da minha família e que a vitória ou a derrota dependiam apenas de mim”, explicou.

Em 1988 tornou-se membro do Comitê Olímpico Internacional e fez parte do comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Em 1972, seu casamento com o oficial do Exército e campeão olímpico equestre Mark Phillips foi seguido por 500 milhões de telespectadores.

Eles tiveram dois filhos, Peter e Zara, e rompendo com a tradição, o casal decidiu que Mark Phillips não deveria receber nenhum título real para que os filhos pudessem se sentir livres para conduzir suas próprias vidas.

O casal se divorciou em 1992 e nove meses depois a princesa se casou com o comandante Timothy Laurence, ex-cavaleiro da rainha Elizabeth.

O casamento deles aconteceu na Escócia porque a Igreja Anglicana não permite uniões de pessoas divorciadas.

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR | EM VÍDEO

Princesa do pop ou rainha da Inglaterra? O romance pouco conhecido de Britney Spears e Príncipe William